Formação de quadrilha

Formação de quadrilha

Tutty Vasques

04 de novembro de 2014 | 06h02

ReproduçãoA velhinha que foi ao teatro noite dessas no Rio só para, da plateia, ofender Ney Latorraca em cena – a ponto de o ator precisar interromper o espetáculo – pode fazer parte de uma gangue de vovós homofóbicas em formação nessas vans que fazem tour cultural para terceira idade.

 

Gerald Thomas, o diretor da peça (‘Entredentes’), ouviu dizer que a próxima vítima da quadrilha será Miguel Falabella, outro que está em cartaz na cidade. Se a moda pega, muito em breve vai ter ator exigindo ‘quarta parede’ de vidro blindado para entrar em cena.

 

A relação palco-plateia provavelmente nunca mais será a mesma depois que as velhinhas das vans passaram a frequentar as redes sociais e, como é comum a partir de certa idade, comportam-se em público sem a censura natural de quem não está sob a proteção do véu virtual do anonimato. Elas xingam, fazem ameaças, entornam o caldo, tudo na lata, tanto faz se de passagem pelo Facebook ou no teatro. São um perigo!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: