Fraldas em vez de fraudes

Tutty Vasques

06 Novembro 2012 | 06h02

reproduçãoSe os candidatos submetidos ao Enem foram pegos de surpresa pelo tema de redação ‘os movimentos de imigração do Brasil no século 21’, imagina o susto daquela estudante que, sem ao menos saber que estava grávida, deu à luz um bebê no banheiro do local onde faria as provas de domingo no Mato Grosso do Sul!

Como, fora isso, nada de muito estranho ocorreu no fim de semana de aplicação do exame em todo o País, Aloizio Mercadante comemorou o parto natural do Enem – o primeiro de sua gestão no Ministério da Educação – como se fosse o pai do inesperado neném de Sidrolândia.

Chegou até a ligar para a mãe da criança dizendo que o pequeno Everton virou “símbolo do Enem”. Só faltou pedir desculpas por qualquer coisa à imprensa: “Não dá para botar uma parteira em cada escola!”

O ministro não disfarçou sua alegria por estar falando de fraldas em vez de fraudes ao final de mais uma maratona de avaliação do ensino médio no Brasil.

A felicidade espontânea de toda a família de Everton com o tema inesperado de sua chegada também ajuda Mercadante a acreditar que tudo conspira a favor do Enem. Nem o que poderia ser um escândalo doméstico se criou nas provas deste ano.