GPS doidão

Tutty Vasques

29 Agosto 2009 | 09h29

Dentre as inúmeras maluquices que ganharam algum destaque no noticiário da semana, uma revelação de Bob Dylan em seu programa de rádio transmitido pela BBC chamou, particularmente, atenção:

“Estou em conversações com algumas companhias automobilísticas para ser a voz dos seus sistemas de GPS.”

O que é louco nisso não é nem o destino comercial reservado a um dos maiores ícones da contracultura dos anos 60. O problema, no caso, não é tanto do artista ou de sua obra. A questão é a seguinte: você compraria um carro dotado de navegador por satélite com a voz de um lunático te mandando dobrar ora à direita, ora à esquerda, sempre transmitindo aquela sensação de que estamos todos completamente perdidos desde Woodstock?

Deve ser brincadeira do Bob, só pode ser! Cá pra nós, o negócio anunciado é tão improvável quanto a possibilidade de uma versão em português na voz de Eduardo Suplicy. Já pensou?

Texto publicado no caderno Cidades/Metrópole deste sábado no ‘Estadão’.