Hipertensão zero: faça sexo pelo SUS

Tutty Vasques

28 de abril de 2010 | 09h28

reprodução

reprodução

Lula ligou agradecido ao ministro da Saúde. O presidente já nem lembrava mais da última vez que seu governo se meteu em polêmica sem tomar cacete de tudo que é lado. Quando o ministro da Saúde recomendou sexo contra hipertensão, ficou logo imaginando a reação da oposição, da mídia, da Igreja, do Alexandre Garcia… Qual nada! Faltando ainda conferir a posição da Veja a respeito, todo mundo não só concordou – a Igreja não está em condições de discordar de nada -, como até ampliou o alcance da tese oficial: sexo, dizem, faz bem pra tudo.

Se é mesmo este santo remédio, o governo já deve estar pensando em quem não tem acesso ao tratamento. O Bolsa Família paga até o jantar, mas sexo não é como sobremesa, que o povo compra na padaria, e nem todo mundo tem em casa para consumo doméstico.

Quem sabe não vem por aí uma espécie de Bolsa Pouco Família de inclusão sexual, né? Se não der para fornecer de graça pelo SUS, de repente rola um genérico tarja preta comercializado em farmácia sob prescrição médica.

Ainda que o debate não dê em nada, o Brasil deve ao ministro da Saúde o obséquio de mudar de assunto e tornar o noticiário mais excitante. O Temporão é um fofo, né não?