Hoje é seu dia de rico, bebê!

Tutty Vasques

20 de novembro de 2011 | 06h22

ILUSTRAÇÃO POJUCANA nova classe média brasileira ainda não teve esse prazer, mas isso é questão de tempo, não tem erro: depois que o salário de um ex-pobre ultrapassa a casa dos R$ 5 mil, não dá lá pra fazer muita estrepolia com a grana, mas, de 10 em 10 anos, o cara acorda com a notícia de que, pelos números do último Censo sobre a renda nacional, ele já pode se considerar um brasileiro rico. É mole?

Aconteceu esta semana com quem ganha qualquer coisa na faixa dos R$ 5.345,22, média salarial dos “mais ricos”, segundo dados do Censo 2010 divulgados pelo IBGE na quarta-feira passada.

Se é o seu caso, caro leitor, parabéns! Convém, entretanto, comemorar discretamente como, aliás, é costume das elites para não chamar atenção do Imposto de Renda nem despertar olho gordo nos pobretões.

Sorria com o canto da boca e, se não resistir, empine levemente o nariz! Num país em que a renda média mensal da população é de R$ 1.202,00 – com os 10% mais pobres desse contingente vivendo com miseráveis R$ 137,00 –, melhor que você na foto da desigualdade social da última década só aquele 1% da população – ô, raça! – com vencimentos de R$ 16.560,22, em média.

Não é nada, não é nada, em nenhuma outra circunstância vão dispensar tratamento de “rico” a alguém com cincão no holerite da firma. Para quem até outro dia mesmo ainda era pobre, francamente, a tal nova classe média brasileira não perde por esperar para sentir esse gostinho em 2021, quando sai um novo Censo. Passa rápido!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.