Hoje não é dia de banco!

Tutty Vasques

29 Setembro 2011 | 06h35

Talvez não seja seu caso – tem gente que não entra em banco desde o advento da internet e dos caixas eletrônicos –, mas imagina a felicidade de quem cuida da conta da empresa do patrão em dias de greve dos bancários.

Parece um sonho sair para trabalhar sem cumprir a rotina de enfrentar filas, dispositivos de segurança, clientes preferenciais e a má vontade da mocinha do caixa – não necessariamente nesta ordem.

Ainda que, em virtude do fechamento das agências, o mensageiro precise gastar sola de sapato em dobro para evitar multas por atraso de pagamento, só o fato de não ir ao banco por uns dias é uma satisfação indescritível para quem não lembra mais que tormento é este na vida de uma pessoa.

A maioria não esquece o trauma de, na hora agá, faltar um documento, uma senha, um boleto, um número de conta, um detalhe qualquer que transforme todo o sacrifício em perda de tempo.

Melhor de tudo nessa greve dos bancários: caiu a zero a ocorrência de “saidinhas de banco” em todo o País.

Conclusão: os movimentos sociais também têm sua “agenda positiva”! Relaxa aí, vai! A leitura do noticiário anda te deixando muito tenso. Os banqueiros não estão nem aí pra isso!