Humor no front

Tutty Vasques

25 Novembro 2010 | 06h21

afbzbÉ sempre assim: toda vez que a polícia no Rio decide enfrentar ostensivamente a bandidagem no asfalto, o Hélio de La Peña bate seu recorde anterior de pit stop em blitz. Dizem até que, nessas ocasiões, a Turma do Casseta & Planeta aproveita a predileção dos ‘homens’ pelo colega afro-descendente para sair das gravações no Projac na cola dele. Quando, invariavelmente param o primeiro carro do comboio para averiguações, o resto da caravana passa sem ser incomodada.

Esta semana, La Peña tomou sua primeira geral logo na segunda-feira. “Como nos velhos tempos, não encontraram nada”, comemorou ele no Twitter. “Liberado, até a próxima!” A polícia não tira mais o bom humor do carioca. Nunca antes na história da cidade maravilhosa a população esteve tão do lado da lei. Tem cabeludo dando tapinha nas costas de PM a título de incentivo à luta.

Não é hora pra se discutir racismo na seleção de suspeitos. A sina de Hélio de La Peña, aliás, já havia virado piada com a verve do humorista. Diz ele em seu blog que, ao final de uma dura inútil num jogador recém-chegado do futebol árabe, o policial não perdeu a viagem: “Ô negão, tu não acha que é muito preto pra tá dirigindo um carrão desse não?”