Imortalidade assistida

Tutty Vasques

26 de julho de 2014 | 14h38

A ABL devia deixar de lado o orgulho da eternidade acadêmica e chamar logo um pai de santo para fechar o corpo de seus membros.

O que tem morrido de imortal ultimamente, daqui a pouco vai faltar escritor para tantas vagas abertas!