Pior não é o crack

Tutty Vasques

18 Novembro 2010 | 12h27

Ércio Quaresma, advogado de defesa do goleiro Bruno, nunca fingiu que era santo:

“Eu sou o cão, eu sou o demônio, eu sou satã, eu sou lúcifer”, apresentou-se assim certa vez à noiva do jogador preso.

O fato de só agora ter revelado que é viciado em crack, francamente, não chega a ser agravante pelas leis do inferno.