Inferno particular

Tutty Vasques

20 de fevereiro de 2010 | 08h30

O atual Inferno astral de Kaká não tem nada a ver com o de Ronaldinho Gaúcho! Muito pelo contrário: o craque que voltou a encantar a Europa jogando no Milan não consegue agradar a Dunga e, na contramão de seu drama, o xodó do técnico da Seleção passa por uma fase de rejeição continental ao futebol que vem praticando no Real Madrid. Os dois estão igualmente sofrendo com a situação!

Inferno astral é assim mesmo: cada um tem o seu, embora, no final das contas, a sensação de estar com a batata assando seja igual para todos. O que varia é a fase de cozimento. O ex-governador José Roberto Arruda, por exemplo, arde no quinto dos infernos astrais, enquanto o prefeito Gilberto Kassab é mantido em banho-maria, com água pelo umbigo, no caldeirão da má-notícia. Cada um com seu cada qual, entende?!

Não se pode jogar na mesma fogueira a administração do Palmeiras e a economia da Grécia. São desastres diferentes! Tão distintos quanto o passado recente do ex-deputado José Dirceu e do golfista americano Tiger Woods, que esta semana anunciaram o fim de seus respectivos infernos astrais. Como se essa decisão fosse deles. Tolinhos!

Tendências: