Juntu & misturadu

Tutty Vasques

19 de novembro de 2013 | 02h03

ilustração pojucan‘Tamujuntu’ – corruptela de ‘estamos juntos’ – é modo de dizer! Quase nunca significa proximidade física entre quem diz e quem precisa ouvir uma palavra amiga para não se sentir só numa roubada qualquer. A companhia, no caso, é espiritual! Soa, mal comparando, como um ‘vai com Deus’ dito a alguém que sai de casa sabendo do trânsito infernal que o espera lá fora.

‘Tamujuntu’ é, também, expressão de fé! Interpretá-la ao pé da letra pode induzir a erro grave de entendimento do que se quer dizer com isso. Teve gente que, por um instante – ato falho de desejo inconsciente –, chegou a achar que Lula estaria do mesmo lado das grades de José Dirceu e José Genoíno ao ler notícia sobre a reação do ex-presidente à prisão dos velhos companheiros: “Tamujuntu!”

É mesmo papo de porta de cadeia, tá ligado? Como quase toda gíria, ensina o ‘Houaiss’, “linguagem de marginais que se estende a outros grupos sociais”. Enfim, o Lula está solto – e não se fala mais nisso, ok?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.