Má fama instantânea

Tutty Vasques

14 Março 2013 | 02h02

divulgaçãoAfora os 212 mil gatos pingados que o elegeram deputado federal pelo PSC/SP em 2010, a grande maioria dos brasileiros sequer tinha ouvido falar em Marco Feliciano antes de aderir à indignação generalizada com sua ascensão à presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara!

O pastor evangélico caiu na boca do povo da noite pro dia e, a julgar pela maneira como tem caprichado no penteado, parece satisfeito com o repentino prestígio de apóstolo do preconceito racial e da homofobia, reputação que o tem projetado no noticiário nacional.

O vídeo em que pede a senha da conta bancária de um fiel em nome de Cristo é simplesmente consagrador. O cara tem aparecido mais que o Renan Calheiros nas redes sociais!

Até a Xuxa e o Luciano Huck, que não são muito de protestar, desancaram o sujeito no Twitter! Tem gente que deixou de passear com os filhos aos domingos para sair às ruas com cartazes do gênero ‘Pastor, vai pastar’, ‘Feliciano é o câncer’, ‘Fora fundamentalista!”

Ainda que seja destronado nos próximos dias do reino dos Direitos Humanos, Marco Feliciano já terá desfrutado – e muito bem – de seus 15 minutos de má fama!