Marca sem registro

Tutty Vasques

06 Fevereiro 2013 | 00h02

reproduçãoPara início de conversa, Henrique Eduardo – tal qual Otávio Carlos, Ricardo Alfredo, Roberto Joaquim ou Tiago Diego – é um nome duplo improvável como outro qualquer.

Em geral, o sujeito ou é Henrique ou Eduardo! Pode até ser Fernando Henrique, Cláudio Henrique, José Henrique, Carlos Eduardo, Eduardo Henrique, que seja, Henrique Eduardo é uma raridade.

Isso quer dizer o seguinte:

Se você também não consegue ligar com precisão o nome à pessoa do novo presidente da Câmara dos Deputados, relaxa, o problema pode não ser seu.

Alguém que está há 42 anos e 11 mandatos consecutivos no mesmo lugar, ainda mais sendo este lugar o PMDB, não tem jeito: por mais que a figura lhe seja “familiar”, você nunca sabe exatamente quem é.

Na melhor das hipóteses, Henrique Eduardo Alves entrará para a história como outro Henrique Eduardo qualquer que a gente esqueceu ou nem chegou a conhecer.

O terceiro nome na linha sucessória da presidência da República vai precisar fazer um troço muito grande para que um dia Henrique Eduardo seja um nome tão marcante quanto Marcos Valério, por exemplo, apenas para citar outro que jamais saberíamos quem é não fosse aquela coisa toda.