Milagre dos peixes

Tutty Vasques

02 Março 2012 | 06h29

ilustração pojucanRepercutiu muito bem no fundo do mar e na corredeira dos rios brasileiros a notícia de que a religião de Marcelo Crivella não permite que o novo ministro da Pesca ponha minhoca no anzol, inclusive.

Depois de Ideli Salvatti e Luiz Sérgio, convenhamos, a chegada da Igreja Universal do Reino de Deus às profundezas parece um sonho de robalo. Agora mesmo é que a pesca não vai pra frente no Brasil.

Dizem até que já tem tainha pagando dízimo e pirarucu – ô, raça! – disposto a exorcizar o vício da minhoca para colaborar com o “milagre dos peixes” que se anuncia à boca pequena de algumas espécies ameaçadas de extinção.

Não é bem o que se diz em terra firme, mas a vida embaixo d’água não se deixa contaminar com a pouca vergonha da superfície – e vice-versa!
Manobra política, cara-de-pau, falta de respeito com o interesse público, nada disso afunda! Já viu badejo indignado com tudo isso que aí está? Lula, lá, por sinal é outra coisa!

Se o peixe não morrer pela boca, para ele já está muito bom! E, se depender do Ministério da Pesca, já viu, né?