Milagre fora de época!

Tutty Vasques

07 de março de 2014 | 00h07

reproduçãoSe fosse no Natal, a história de Marina Pinto Borges, 22 anos, viraria um desses contos emblemáticos sobre milagres atribuídos à data do nascimento de Cristo. Ninguém capota sete vezes, pula com seu carrinho a mureta do vão central da Ponte Rio-Niterói, despenca de uma altura de 50m e é resgatada na Baía de Guanabara, sem fraturas, vivinha da silva!

O que torna a divina providência inexplicável neste caso é a festa pagã que ela escolheu para exibir os desígnios de Deus em toda sua plenitude. Milagres fora de época acontecem, mas numa segunda-feira de Carnaval – ainda mais às seis da manhã, hora do acidente na Ponte – não há anjo da guarda (nem táxi) que dê conta de tanto jovem voltando endiabrado pra casa.

Na contramão da gandaia, Marina madrugou naquele dia em São Gonçalo para trabalhar no Rio, o que talvez tenha chamado a atenção do homem lá em cima: “Quem é aquela santa?” – teria perguntado a São Pedro instantes antes do sinistro.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: