Minuto de silêncio

Tutty Vasques

22 Março 2012 | 02h18

reproduçãoPela foto dos machucados que Thor Batista postou no Twitter dá pra ver bem: os arranhões provocados pelo atropelado atingiram em cheio os 45 centímetros de pelo menos um dos bíceps que o primogênito do Eike apresentou como cartão de visitas em célebre reportagem da Veja Rio sobre a fórmula de sucesso do cara: “Nunca li um livro inteiro!” – lembra disso?

Não à toa, Luma de Oliveira – mãe é mãe! – está preocupada: toda vez que a família do bilionário ocupa a rede social para exaltar o exemplo de cidadania de Thor diante da fatalidade causada “inadvertidamente” pelo ciclista morto no local, o povo – o, raça! – desconfia. “Aí tem!”

Afora o preconceito indisfarçável com os ricos, brasileiro nenhum acredita na existência de alguém tão politicamente correto circulando em território nacional, ainda mais num sábado à noite qualquer. Muito menos com os antecedentes do motorista em questão.

Se pudesse, ninguém duvida disso, Eike Batista compraria logo 10 ciclistas pobres para repor a perda com sobras e minimizar o sofrimento da tia da vítima, mas o melhor que pode fazer agora é seguir o exemplo da ex-mulher: um minuto de silêncio, por favor, não há mais o que fazer!