Mitologia dos negócios

Tutty Vasques

02 de novembro de 2013 | 06h41

reproduçãoDepois de Daniel ‘Opportunity’ Dantas e Eike ‘OGX’ Batista, deve demorar a surgir no Brasil outro Midas da mitologia dos negócios. Essa história de banqueiro ou empresário que sai por aí transformando tudo que toca em ouro, sabe-se agora, nunca acaba bem.

Já na mitologia grega, o rei que detinha tais poderes quase morreu de fome cercado de alimentos que, em suas mãos, viravam metal duro e reluzente. Não é o caso de Dantas e Batista, mas todo aquele encanto que um e outro produziu no mercado, cada um a seu tempo, de repente virou fábula!

Depois deles, imagina-se que tão cedo não aparecerá outro homem de negócios com fascínio para fazer todo mundo acreditar que basta um toque seu para qualquer parada dar certo!

Não se faz mais Midas como antigamente e, reza a lenda, o rei que abdicou do toque batizado com seu nome acabou se metendo depois com Apolo numa encrenca que lhe rendeu duas enormes orelhas de burro. Mas este também não será o caso de Daniel Dantas e Eike Batista.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.