Não é o Verissimo!!!

Tutty Vasques

07 Novembro 2010 | 06h34

ilustração pojucanCorre no mundo do humor o boato de que Luis Fernando Verissimo teria aderido ao ‘cross-dressing’ – já ouviu falar nisso? É o seguinte: os homens – ô, raça! – deram agora pra se vestir de mulher, com direito a maquiagem, depilação da virilha, esmalte vermelho salto alto e corte de cabelo chanel, dizem eles que só para dar uma investigada no gênero oposto, quebrar tabus, ver qual é, essas coisas, sabe?

O ‘cross-dresser’, como são chamados os adeptos do movimento, defendem a liberdade da saia em contraponto à ditadura dos códigos de macho. Desprezam qualquer conotação de fetiche sexual na atitude: travestis, a princípio, são os outros!

Mas ninguém inventaria essa história maluca de que viu o Verissimo vestido de Velhinha de Taubaté na fila de autógrafos de um lançamento de livro em Porto Alegre, não fosse o cartunista Laerte ter, de fato, virado uma senhora avançada até para os costumes de São Paulo, uma espécie de Rita Lee dos humoristas brasileiros. Sério! Tem amigo de infância que, desde então, finge não reconhecê-lo só para não encará-lo de rímel, blush, batom e aquele olhar desafiante de mulher bem resolvida.
Foi assim, de brincadeira, tentando assustar o Ziraldo, que o também cartunista Jaguar andou espalhando no botequim frequentado pela a turma do Pasquim que esse troço que deu no Laerte pega por contágio entre colegas de ofício: “Viu só o que aconteceu com o Verissimo?!” Daí a virar boato, foi só não entender a piada.

Convém esclarecer que a foto aqui exposta trata-se de uma montagem. Não é o Verissimo, ok?! O mestre de todos os humoristas continua usando camisa social pra dentro da calça e sapato engraxado quando sai às ruas em Porto Alegre, o que deixa o Ziraldo bem menos preocupado em relação ao próprio futuro. Melhor assim! Dá para imaginar o pai do Menino Maluquinho de tailleur?