Não é só pelos US$ 4,5 bilhões!

Tutty Vasques

20 Dezembro 2013 | 02h52

ilustração pojucanSe não foi só por causa dos R$ 0,20 de aumento nas passagens de ônibus que o brasileiro protestou em junho, era de se esperar que a população voltasse às ruas neste final de ano para questionar o governo sobre a compra de aviões de guerra, não só pelos US$ 4,5 bilhões da transação.

Que nada! O Brasil adquiriu pela metade do preço de mercado 36 caças suecos, cujo modelo jamais foi testado em operações reais de combate, e, no entanto, ninguém fechou a Av. Paulista, tentou invadir o Palácio Guanabara ou subiu no teto do Congresso pra dizer “peralá!”, que seja.

Ainda que essas máquinas voadoras não sirvam para nada num país sem qualquer perspectiva de confronto militar, mal comparando, é como se comprássemos equipamentos de preparação de pistas de esqui a preços de banana na África.

Mas, pelo visto, a não ser que tentem pagar a conta com outros R$ 0,20 de aumento nas tarifas dos transportes públicos, o brasileiro não está nem aí para o que façam com o dinheiro dele!