Não tem santo em SP

Tutty Vasques

13 Novembro 2012 | 00h02

reproduçãoNão à toa, o carioca acende todas as noites uma vela para São José Mariano Beltrame. Perto do que a gente vê por aí, francamente, o secretário de Segurança Pública do Rio é um santo homem.

Ainda que não seja este milagreiro todo que dizem, imagina viver num lugar sabendo que quem zela por sua tranquilidade é um sujeito, para início de conversa, equilibrado e técnico em sua especialidade! “Isso é melhor que praia”, dizem em Ipanema.

Exageros à parte, se tivesse que escolher hoje entre o secretário de Segurança, o governador do estado e o prefeito da cidade, o carioca – ô raça! – não teria dúvidas em votar em quem, dos três, jamais disputou eleições na vida.

Tem gente no Rio que, para não perder seu xerife, abriria mão dos royalties do petróleo, do réveillon de Copacabana em 2013, da final da Copa do Mundo em 2014 e até dos Jogos Olímpicos de 2016.

Beltrame é um fenômeno de popularidade num país em que chefes de polícia, em geral, só protagonizam más notícias!

Sua última medida para acabar com a guerra nas ruas foi chamar de volta aos quartéis mais de 200 fuzis da PM considerados desnecessários em áreas já pacificadas da cidade. Não parece milagre?!