Nas asas da má notícia!

Tutty Vasques

01 de agosto de 2013 | 02h32

ilustração pojucanCom o anúncio da demissão de “menos de mil” pilotos, copilotos e comissários de bordo da TAM, a aviação comercial planetária deu mais um passinho à frente nos esforços para a completa desmoralização da lei da oferta e da procura no setor. Nenhum outro negócio do mundo cresce na mesma proporção dos prejuízos de seus operadores.

No Brasil, em especial, nunca se voou tanto! Os aeroportos estão congestionados, os passageiros se submetem passivamente a todo tipo de maus-tratos – do check-in à esteira de bagagens na outra ponta da linha – e, no entanto, há mais de 10 anos as empresas aéreas não protagonizam uma mísera boa notícia nos jornais.
As companhias se fundem, demitem em massa, cumprem programas de gestão e austeridade, cobram pelo sanduíche, cancelam voos deficitários, usam e abusam da paciência do consumidor e, por fim, quebram.

É a chamada economia insustentável voando alto nas asas da má notícia. Chega uma hora que é melhor mesmo não sair do chão!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.