Nosso homem no fim do mundo

Tutty Vasques

29 de maio de 2009 | 02h13

Arnaldo Carrilho é uma espécie de embaixador do Brasil no Fim do Mundo.

Trabalhou na Polônia comunista, na Berlim Oriental pré-queda do muro, no Laos e em território da Autoridade Palestina, antes de ganhar a responsabilidade de implantar uma representação diplomática do Brasil na Coréia do Norte.

Está, no momento, em Pequim, esperando a poeira nuclear baixar para seguir viagem.