O apogeu do homem traído!

Tutty Vasques

12 de julho de 2012 | 02h40

ilustração pojucanQuando a fabulosa Andressa Mendonça largou o casamento com o primeiro-suplente de Demóstenes Torres no Senado para viver com Carlinhos Cachoeira, Wilder Morais jamais poderia imaginar que um ano e pouco depois ele seria o único personagem dessa história com possibilidade de final feliz.

O empresário tem nas mãos, além de muito dinheiro, a chance de entrar para a história como o senador da República que virou símbolo do apogeu do ex-marido traído.

É a primeira vez que alguém nessas circunstâncias, ainda mais em Goiânia, ri à toa! Parece que, amigos e negócios à parte, o sujeito tem pelo menos a virtude de não se levar muito a sério. Prova disso seriam as piadas que, garantem seus assessores, vem cultivando há meses sobre a suposta sociedade conjugal com Cachoeira nos idos de 2011.

Reza a lenda que ele quase se escangalhou de rir no dia que leu a nota “Wilder nunca poderá alegar que não recebeu nada do bicheiro. Está na testa”, publicada na coluna de Jorge Bastos Moreno, no Globo.

Se chegar ao Senado com esse espírito, talvez escape da chatice de ficar explicando o tempo todo porque omitiu parte de seu imenso patrimônio na declaração de bens ao TSE. Poupe-nos!

Tendências: