O bem viver é inocente

Tutty Vasques

20 Abril 2011 | 02h46

Preocupada com o que chamam por aí de estilo “bon vivant” de Aécio Neves, a oposição já providencia um ‘personal povão’ para seu líder tucano. A ideia é dar uma popularizada nos hábitos do senador mineiro, que pode estrear o novo gênero já neste feriadão trocando a praia do Leblon pelo piscinão de Ramos, de ônibus. Land Rover nunca mais!

Adeus comida japonesa, champanhe, esqui na neve, perfume Issey Miyake, fins de semana em Angra, rallyes de moto, pilates, surf, camisas Polo, camarotes Vips, iPhone, gravatas italianas e misses em geral. A partir de agora, churrasco, cervejinha, pelada, camiseta regata, pão doce, meia dúzia de erros de português, barriga, chinelo Rider, e olhe lá!

A orientação vai na contramão de tudo que FHC pregou para a conquista oposicionista da nova classe média brasileira. O tal estilo “bon vivant” que os tucanos tentam esconder em seu quadro mais popular é, decerto, a grande aspiração de quem começa a descobrir agora os prazeres de viajar, sair com amigos, se divertir… Qual é o problema em aproveitar bem a vida, afinal?

Faz o seguinte, Aécio: se beber não dirija, e vida que segue!