O Brasil te perdoa, bebezão!

O Brasil te perdoa, bebezão!

Tutty Vasques

04 de maio de 2008 | 07h03

ilustração pojucan

Dizer que Ronaldo reclama de barriga cheia pode dar a falsa impressão de que aqui se pretende chamá-lo de gordo, justo quando não vem ao caso destacar que protuberância evidente é aquela no perfil do Fenômeno. Não! Não é isto que pesa na consciência da sociedade sempre que, como agora, dá colo ao moleque levado de Bento Ribeiro. Nananeném! Ele sempre volta pra casa assustado – com aquela carinha de “não fiz nada” – quando vê a coisa preta, no sentido que bem entender o leitor. O Brasil adora este seu primeiro Ronaldinho, a ponto de nunca acusar seus defeitos e todas as esquisitices que o perseguem.

Ele não é como Edmundo ou Romário, não senhor! Nem se compara a Adriano, o Imperador. Ronaldo é o filho problemático preferido não só dos brasileiros, o planeta o adotou.

(Clique aqui para ler a íntegra do texto publicado neste domingo no caderno Aliás)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.