O futebol no estaleiro

Tutty Vasques

20 Novembro 2010 | 06h49

djjKaká está de novo no Brasil! Trouxe da Espanha na bagagem o púbis e o joelho esquerdo para tratar com o fisiologista Turíbio Leite. Veio, segundo comunicado do Real Madrid, em busca de “uma avaliação objetiva de forma a determinar a orientação do tratamento médico a seguir para finalizar o período de recuperação”. Sem jogar desde a Copa da África do Sul, o meia-atacante está otimista com a previsão de voltar aos gramados em janeiro.

O ano também acabou para Alexandre Pato, que está de malas prontas para os EUA. Leva na bagagem a coxa esquerda para ser examinada por especialistas, depois que os médicos do Milan declararam-se incompetentes na investigação das lesões musculares em série na atual temporada. “Talvez tenha algo a ver com o seu crescimento”, desconfia a diretoria do clube.

A pista é boa! Há 3 anos na Itália, o gauchinho ganhou nesse período 8 quilos e 8 cm. Pato parece estar sendo trabalhado para virar foie gras. Antes que o Ganso vá pelo mesmo caminho, precisa ver o que há de errado com a preparação física dos atletas de futebol ultimamente.
O problema é global: nunca antes na história do Brasileirão tantos jogadores se contundiram na competição. Repara só!