O homem da casa

Tutty Vasques

26 Junho 2012 | 08h57

reproduçãoOs empregados da mansão de Abílio Diniz em São Paulo marcaram para a noite desta terça-feira uma assembleia-geral da categoria na quadra de tênis da propriedade de 4.030 metros quadrados do Jardim América.

Vão discutir as consequências da saída do patrão do comando dos negócios do Grupo Pão de Açúcar, atividade que exerceu com dedicação exclusiva nos últimos 50 anos. Temem que, com o tempo livre decorrente, o empresário se transforme num controlador implacável do trabalho doméstico em sua residência cinematográfica.

“Homem em casa sem nada para fazer, já viu, né?” – comenta-se no boca-a-boca das dependências de serviço da área construída, onde ninguém conhece de perto – só de ouvir falar – o temperamento empreendedor e explosivo do chefe. Em casa, ele sempre foi um doce de pessoa!

É aí, acredita a criadagem, que mora o perigo: sem ter mais em quem mandar no supermercado, Abílio pode transferir para a rotina pessoal toda a determinação, garra e disciplina que consagraram sua fama de profissional durão e inflexível.

Fenômeno parecido aconteceu com Pedro Bial num desses longos períodos de folga no BBB em que nem a namorada do apresentador aguentou ele em casa.