O limite da sensatez!

Tutty Vasques

04 Dezembro 2013 | 06h04

ilustração pojucanO Bom Senso FC já conta com a simpatia de todas as torcidas do Brasil, mas precisa inventar novas formas de pressão contra a CBF “por um futebol melhor para todos” – ou vai acabar vaiado nos estádios. Imagine o sujeito que levou boa parte do seu casamento fazendo a mulher entender a lei do impedimento tendo agora que explicar porque diabos o jogo começa com os dois times sentados no gramado, de braços cruzados ou trocando bola de um lado pro outro do campo sem disputa-la.

Mesmo quem não tem este problema em casa começa a dedicar a tais iniciativas a mesma atenção dispensada ao “minuto de silêncio”. Ou seja, a rebeldia dos atletas está transformando protesto em algo tão monótono quanto manifestação de pesar!

Como o movimento não conseguiu em dois meses de atividade sensibilizar a CBF para nada, talvez esteja na hora de recorrer aos velhos métodos de reivindicação trabalhista. Bom senso nunca foi o forte da cartolagem brasileira!