O major Rocha do Parque Antártica

Tutty Vasques

03 Novembro 2010 | 06h31

reproduçãoFelipão tem bons motivos para querer acabar logo com essa palhaçada de a toda hora um jornalista comentar seu salário no jornal. Mais cedo ou mais tarde, os patrocinadores e a torcida do Palmeiras vão acabar se dando conta de que ele não vale a metade dos R$ 700 mil ou R$ 800 mil que lhe pagam por mês, segundo a imprensa especializada.

A diretoria do clube também teme que, a continuar todo esse falatório sobre os vencimentos do técnico, não demora muito o meia Marcos Assunção, que sempre salva o time com seus gols de falta, vai querer ganhar o dobro do chefe. Cá pra nós, cheio de razão!

O resto é bobagem! Ao contrário do que imagina Felipão, a violência no Brasil não seleciona suas vítimas pelo faturamento a elas atribuído no noticiário. Ou o Eike Batista não andaria por aí dando mole com aquele seu topete que custou uma fortuna e chama a maior atenção para o bilionário.

A única coisa verdadeiramente preocupante no desabafo do técnico foi o tom da ameaça de “agir” contra quem voltar a declarar os rendimentos dele na mídia. Brabo desse jeito, Felipão lembra um pouco o major Rocha, de Tropa de Elite 2.

Não à toa, tem jornalista esportivo até agora escondido na casa da mãe.