O melhor amigo dos homens

Tutty Vasques

19 Novembro 2010 | 06h18

qrhfdO PMDB está se fazendo de novo de brabo e, por incrível que pareça, tem gente que ainda se assusta com os rosnados do noticiário. Parece mesmo briga de cachorro grande, mas é da raça fingir que está arrancando à força o que lhe é dado de bom grado. Coisa de totó! Sabe quando o dono faz que vai tirar o osso que na verdade está dando ao melhor amigo que tem? O PMDB é assim: ladra, mas não morde! Amigo, amigo!

Se o governo jogar um ministério ou um fundo de pensão longe, numa praia deserta, o PMDB corre lá e o traz de volta. Sério: o partido é retriever, além de adestrado! A um comando aliado, fica em pé nas patas de trás, corre atrás do próprio rabo, finge de morto, dá a patinha e o escambau. Sabe que, ao final, será recompensado na ração.

Se anda agora tentando organizar um bloco na vizinhança, que ninguém se iluda com a aparente algazarra, a ideia deve ser atrair a cachorrada para o carnaval da união na base aliada. O que está acontecendo não é briga. É só um ritual fisiológico da política brasileira: muito barulho por nada! Faz parte!