O negócio dela é poder

Tutty Vasques

06 de maio de 2011 | 02h36

fagfdgBill Clinton está confuso! “O que será que a Hillary quis dizer aos jornalistas com ‘foram os 38 minutos mais intensos da minha vida’?” Embora esteja claro pra todo mundo que a secretária de Estado americana referia-se na entrevista aos momentos de expectativa que compartilhou com Obama durante a operação que matou Bin Laden, marido nessas horas pensa logo em metáforas de relacionamento.

Quem sabe, com a tal declaração, a ex-primeira-dama não esteja, na verdade. minimizando a lembrança da aflição que viveu na época da lambança do ex-presidente com sua estagiária no Salão Oval! Enfim, foi horrível acompanhar aquilo tudo de perto, mas agora, quando fecha os olhos, Hillary vê tão-somente o Bin Laden morto – nem se lembra mais direito da cara da Monica Lewinsky.

O que seria para ele um alívio, não fosse a insegurança maior de todo garanhão: será que ela não quis deixar no ar uma ponta de desconfiança sobre o bom desempenho sexual do parceiro de tantos anos?

O mais provável, no entanto, é que Hillary não tenha mais tempo para pensar nessas coisas no exercício do poder. Relaxa, vai, Bill!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: