O nome da gripe

Tutty Vasques

02 de maio de 2009 | 10h28

Cedendo a pressões dos fabricantes americanos de feijoada em lata, a Organização Mundial de Saúde decidiu mudar o nome da ‘gripe suína’ para ‘influenza A/H1N1’. Não deixa de ser uma atitude politicamente correta com o porco, mas, francamente, não podiam inventar um apelido menos complicado para consumo popular? A não ser que a idéia seja exatamente fazer a gente mudar de assunto para não se expor ao constrangimento de não lembrar o nome da gripe no meio da conversa.

O certo, entretanto, é que a denominação científica da OMS não vai colar nem por decreto. Pode virar ‘a gripe que não ousa dizer nome’, qualquer coisa, menos ‘influenza A/H1N1’. Se querem mesmo tirar o porco dessa enrascada, precisam criar denominação mais ao gosto da boca do povo. Houve um tempo em que minha mãe também tentou mudar o nome do câncer. Lá em casa, a gente só podia se referir ao mal como ‘a doença’. Melhor que ‘influenza A/H1N1’, né não?

Texto publicado no caderno Cidades/Mwetrópole deste sábado no ‘Estadão’.