O primeiro martelo!

Tutty Vasques

22 Outubro 2013 | 02h03

reproduçãoEra uma reunião de pais modernos de ex-alunos de duas escolas descoladas do Rio – alguns com filhos de 18 anos já enquadrados na Lei da Organização Criminosa – para discutir a prisão de véspera de dezenas de ‘black blocs’ em ação no centro da cidade.

Os pais de hoje não são como os nossos, eu sei, mas chegou um momento no tal encontro em que um deles me fez sentir muito mais velho do que já sou. Jamais pensei viver o suficiente para testemunhar o orgulho cúmplice de um pai com os atos de vandalismo do filho: “Fui eu que lhe dei o martelo que usava nas manifestações de rua!”

Caraca, como sou careta! – pensei! Já havia até me acostumado ao discurso em apoio à baderna assumido por uma certa classe média cansada da própria indignação – “Tem mais é que quebrar!” –, mas pai municiando filho para a depredação, francamente, eu nunca tinha visto.

O primeiro martelo que a gente vê um pai dar pro filho quebrar vidraça, sinceramente, não dá pra esquecer!