O que eles têm por dentro?

O que eles têm por dentro?

Tutty Vasques

04 de abril de 2010 | 09h28

ILUSTRAÇÃO POJUCAN

ILUSTRAÇÃO POJUCAN

Com o devido perdão do leitor pelo oportunismo metafórico aqui empregado para driblar a falta de assunto que assola o País, candidatos a presidente da República são como ovos de Páscoa: embora por fora pareçam todos iguais, nunca se sabe exatamente o conteúdo de uns e outros enquanto estão na vitrine, ainda mais em plena Semana Santa de ano eleitoral.

Essa história de que a Dilma e o Serra seriam tão previsíveis quanto qualquer Kinder Ovo, ou seja, que têm por dentro um bonequinho do Lula ou do FHC para montar, francamente, eu não acredito que o Brasil vai continuar trocando de presidente como criança que escolhe ovo de Páscoa mais interessada no brinde que no chocolate.

A diferença do candidato que esta semana entrou na campanha atirando contra a “roubalheira” para a adversária que preferiu debutar mirando na “estagnação”, convenhamos, é mais ou menos como a do ovo amargo para o meio amargo. A rigor, Dilma e Serra terão muito mais dificuldades que Lula e FHC para se distinguirem aos olhos do eleitor.

O certo, até agora, é que no governo dela não haverá primeira-dama, enquanto ele pode vir a ser o primeiro presidente brasileiro que não vai ficar grisalho no exercício do cargo. É pouco ainda pra gente poder escolher entre um e outro. Depois do Dia das Mães as coisas devem começar a ficar mais claras. Relaxa, vai! Volte pro seu chocolate, e feliz Páscoa!

Tendências: