O vício das más notícias

Tutty Vasques

29 Outubro 2013 | 02h12

ilustração pojucanA indignação é uma necessidade social que, atendida em demasia, acaba criando no brasileiro uma espécie de dependência química da insatisfação: protestar dá barato! Tira uns e outros do vazio dos dias sem grandes queixas. Gente que no domingo passado entrou em crise de abstinência com a falta de trapalhadas na aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio.

Cá pra nós, Enem sem fraudes, vazamento de prova na internet, erros de cabeçalho, questões duplicadas, problemas no gabarito ou outra lambança qualquer não tem mesmo a menor graça, mas esse pessoal também exagera. A ponto de precisar apelar para antidepressivos diante do o ar de triunfo do ministro Aloizio Mercadante no ‘Fantástico’.

A bronca frustrada com o Enem pode fazer falta numa semana já sem leilão do pré-sal ou julgamento do mensalão para saciar o vício nacional das más notícias. Já tem dependente químico por aí temendo o pior: “Só falta dar tudo certo na Copa de 2014!”