O vírus da democracia

Tutty Vasques

10 Outubro 2012 | 06h03

ilustração pojucanOs comentaristas políticos internacionais – ô, raça! – estão à beira de um ataque de nervos com os inesperados sintomas de democracia na Venezuela! Onde já se viu Hugo Chávez moderado, falando em governar para todos, chamando o candidato derrotado para o diálogo, semeando a paz social, reconhecendo seus erros, prometendo ser “um presidente melhor”…?

“Aí tem!” – comenta-se nas entrelinhas dos jornais de todo o planeta! Bem ou mal, a oposição reconheceu a legitimidade do processo eleitoral, os chavistas comportaram-se bem nas comemorações de rua, a presidente Dilma telefonou para elogiar o “processo democrático exemplar” e, ao contrário de todos os prognósticos da imprensa mundial, Hugo Chávez parece estar bem de saúde para governar.

Se alguma coisa deu errado no tratamento em Cuba, teme-se tão-somente em Havana que o vírus oportunista da democracia possa ter se aproveitado da baixa imunidade do líder bolivariano para atacar seu discurso político.

O mais provável, entretanto, é que ele esteja só zombando de quem apostou na derrota do caudilhismo na Venezuela, daí a justa irritação dos comentaristas políticos internacionais!