‘Occupy favelas’

Tutty Vasques

16 Outubro 2012 | 00h04

ILUSTRAÇÃO POJUCANAinda não foi desta vez que o Rio transformou a ocupação de favelas em evento turístico internacional, mas isto agora é questão de tempo: a ação pacificadora da polícia na chamada ‘Faixa de Gaza’ carioca propagandeou mundo afora a vocação da cidade para a realização deste tipo de operação de guerra em clima de total segurança para o público espectador.

Em pouco mais de 20 minutos, sem que um só tiro fosse disparado pelas forças do bem, estava tudo dominado por 2 mil homens com o apoio de blindados, helicópteros e de alguns quadriciclos que o Bope levou para dar carona e divertir a criançada.

Às 10h30 de domingo, já haviam retirado as barreiras de concreto e o flagelo do crack do caminho para o ponto de hasteamento da bandeira brasileira, clímax da retomada de todo território controlado pela bandidagem.

Simples desse jeito, o teatro de operações montado para ocupação de favelas no Rio deve ser aberto ao grande público assim que as autoridades arrumarem uma boa resposta para a pergunta que decerto virá à cabeça de todo turista admirado com a facilidade da façanha policial: “Por que não pensaram nisso antes, caramba?”