Ócios do ofício

Tutty Vasques

03 de outubro de 2009 | 09h29

Se eu pudesse voltar no tempo até a época em que me perguntavam a torto e a direito “o que você vai ser quando crescer?”, responderia a todos sem titubear: “Membro do COI”!  E não só pela paparicação que assistimos nesta semana em Copenhague: o melhor do ofício deve ser aquela fase de “inspeção”, quando os caras visitam as cidades candidatas com direito a muita caipirinha, samba, vôo de helicóptero, linha de passe com Pelé, festa de Babete, tourada, rodízio de sushi, talk-show de Oprah Winfrey – sei lá o que andaram oferecendo na passagem dos membros por Madri, Tóquio e Chicago.

 Deus sabe porque escolheram o Rio! Eles agora vão descansar um pouco, pois terão até 2013 para escolher a cidade-sede das Olimpíadas de 2020. Será, quem sabe, Toronto, Roma, Praga, São Petersburgo ou – correndo por fora – Kuala Lumpur, onde, dizem, rolam umas bebidas energéticas exóticas de enlouquecer qualquer membro do COI. Que inveja!

Publicado no caderno Cidades/Metrópole deste sábado no ‘Estadão’

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.