Ocupem a Bovespa!

Tutty Vasques

26 Outubro 2011 | 00h02

Maior ameaça ao capitalismo no Brasil, os camelôs de São Paulo ainda não se deram conta da evolução das formas de protesto dos excluídos do mundo dos negócios lá fora. Ocupar a Avenida do Estado e apanhar da polícia nas madrugadas do Brás, francamente, não está com nada!

Se querem chamar atenção para o movimento em defesa do trabalho informal, independente do sistema econômico vigente, ocupem a Bovespa pra ver se não vai dar matéria até no ‘New York Times’.

Não vale tocar fogo em automóvel, tacar pedra em vitrine, sentar no meio da rua, emporcalhar a cidade, a ordem é evitar qualquer atitude que dê chances à repressão.

Façam como a galera que ocupou Wall Street: acampem numa pracinha nas proximidades da Bolsa de Valores, pintem cartazes contra os ricos, cantem para passar o tempo, mantenham o lugar limpo, convidem artistas para visitá-los, fantasiem-se, sejam criativos na manifestação de seus anseios.

Não quer dizer, evidentemente, que desse jeito as coisas mudem para melhor, mas, convenhamos, os camelôs de São Paulo têm mais chance de assim conseguir seus objetivos do que os rebelados de Manhattan. Mudar o mundo, cá pra nós, é muito mais complicado!