Os vândalos do rolezinho

Tutty Vasques

18 Janeiro 2014 | 06h03

ilustração pojucanA imprensa – ô, raça! – ainda não usou a expressão “minoria de baderneiros”, mas isso é questão de tempo: está ainda em construção o discurso politicamente correto sobre os ‘rolezinhos’! Tudo indica, porém, que o conteúdo não será muito diferente da linha adotada em 2013 para legitimar a voz das ruas (no caso dos shoppings) sem deixar de condenar a ação de vândalos no final das manifestações.

Resta saber se o Brasil anda se repetindo ou se tudo que sai de bom das redes sociais tem vocação para o descontrole no mundo real. Os jornais até abriram espaço esta semana para os rolezeiros do bem, mas tá na cara que a anunciada onda de rolezinhos em shoppings vai virar tsunami. É próprio da internet transformar movimento em confusão!

O caos deixa tudo muito parecido na sociedade, mas há, sim, uma diferença fundamental entre as manifestações de 2013 e os atuais ‘rolezinhos’: a mobilização do ano passado não era só pelos R$ 0,20; a de agora não é por nada, não!