Ouviram no Ipiranga

Tutty Vasques

27 Outubro 2011 | 06h48

ilustração pojucanVai acabar saindo briga na porta do recém-criado Instituto Lula! A fila de universidades que aguardam a vez de conceder diploma honoris causa ao ex-presidente já dobra a esquina. São pelo menos 50 os oferecimentos de títulos honoríficos à espera de uma brecha na agenda do homem. Nem Steve Jobs conseguiu nada parecido no fim da vida!

No QG de Lula em São Paulo, o assédio do mundo acadêmico enfrenta na calçada da Rua Pouso Alegre, no Ipiranga, a concorrência de um sem número de associações empresariais, instituições financeiras, partidos políticos, governos e ONGs dispostos a pagar entre US$ 150 mil e US$ 200 mil por uma palestra do cara. Nem Bill Clinton antes da crise econômica global arrecadava tanto no setor.

Que esperem todos! Dia desses, entre uma conferência em Madri e um prêmio na Cidade do México, Lula encontrou tempo para posar de cocar com a Dilma em Manaus.

O que mais preocupa a vizinhança da casa que serve de sede à Fundação Lula é a proximidade das festas de fim de ano. O que vai aparecer por lá de amigo oculto e entregador de cestas de Natal, já viu, né? Com menos gente na rua, os camelôs têm armado altas confusões nas esquinas do Brás!