Ouviram no Ipiranga

Tutty Vasques

27 de outubro de 2011 | 06h48

ilustração pojucanVai acabar saindo briga na porta do recém-criado Instituto Lula! A fila de universidades que aguardam a vez de conceder diploma honoris causa ao ex-presidente já dobra a esquina. São pelo menos 50 os oferecimentos de títulos honoríficos à espera de uma brecha na agenda do homem. Nem Steve Jobs conseguiu nada parecido no fim da vida!

No QG de Lula em São Paulo, o assédio do mundo acadêmico enfrenta na calçada da Rua Pouso Alegre, no Ipiranga, a concorrência de um sem número de associações empresariais, instituições financeiras, partidos políticos, governos e ONGs dispostos a pagar entre US$ 150 mil e US$ 200 mil por uma palestra do cara. Nem Bill Clinton antes da crise econômica global arrecadava tanto no setor.

Que esperem todos! Dia desses, entre uma conferência em Madri e um prêmio na Cidade do México, Lula encontrou tempo para posar de cocar com a Dilma em Manaus.

O que mais preocupa a vizinhança da casa que serve de sede à Fundação Lula é a proximidade das festas de fim de ano. O que vai aparecer por lá de amigo oculto e entregador de cestas de Natal, já viu, né? Com menos gente na rua, os camelôs têm armado altas confusões nas esquinas do Brás!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.