Overdose de alegria

Tutty Vasques

09 Agosto 2012 | 06h21

ilustração pojucanSe você é jovem e tem planos de trabalhar na Rio 2016, aí vai uma dica: é dura a vida de voluntário no esquema de recepção ao público no Parque Olímpico de Londres.

Verdadeiros atletas da simpatia, brincalhões de alto rendimento, os rapazes e moças recrutados na comunidade vão precisar de fôlego extra para o esperado sprint de felicidade na reta que os separa do fim de festa do próximo domingo.

Mais um dia de Jogos antes da cerimônia de encerramento e ninguém conseguiria se manter tão animado, sorridente, gentil, bem-humorado, solícito, educado, paciente, amável e, ainda por cima, embrulhado num colete cor-de-rosa de lascar.

Nem na Disney se vê nada igual! Um velho jornalista brasileiro comentava ontem no centro de imprensa que há mais de 30 anos, quando os Meninos de Deus ainda se faziam notar no Brasil, não lhe acontecia de testemunhar alguém num ônibus dizendo “oi gente, eu amo vocês” aos demais passageiros.

Não à toa, tem londrino – ô, raça! – torcendo para que tudo isso acabe logo! Nos últimos 10 dias, ficou praticamente impossível curtir meia horinha, que seja, de baixo astral em tardes nubladas no Hyde Park.

Não há humor inglês que sobrevida a tanta demonstração de euforia. Ainda bem que de vez em quando chove!