País sem memória

País sem memória

Tutty Vasques

19 Setembro 2007 | 11h04

ilustração pojucan

Se a última palavra sobre a extradição de Salvatore Cacciola será do príncipe Albert, de Mônaco, o governo deveria mandar a Monte Carlo, no lugar do ministro Tarso Genro, a porta-bandeira carioca Selminha Sorriso.

Afinal, eles foram praticamente noivos há uns anos atrás.

Será que ninguém em Brasília se lembra disso, caramba?!