Paixão de torcedor é…

Tutty Vasques

28 Setembro 2011 | 06h24

ilustração pojucanEm terra de torcedor apaixonado por futebol, doente a ponto de enfrentar a polícia nas ruas em dia de jogo do Paysandu na terceira divisão do campeonato brasileiro, é natural que se celebre o time do Mano Menezes como um conjunto de astros da maior grandeza.

Desde a chegada da seleção a Belém do Pará, o clima na cidade lembra um pouco o da passagem dos Beatles por San Francisco da Califórnia, em 1964.
“Lindooo!!!” – gritavam ontem as meninas até para o Ronaldinho Gaúcho. Mais alto, é claro, pro Neymar, que virou uma espécie de Paul McCartney da companhia.
Ninguém sabe distinguir direito o Rômulo do Rodolfo. “Aquele ali é o Réver ou o Elkeson?” Na dúvida, um grupo de torcedoras decidiu chamar a todos que não conhecia de Dedé.

Para as 25 mil pessoas que foram berrar o nome deles no treino, é uma honra receber a elite do futebol brasileiro no Mangueirão.

Mas que os jogadores da seleção não se iludam com a festa de véspera: o deslumbramento em Belém vai até os 35 minutos de jogo, que é mais ou menos o prazo de validade da paciência dos torcedores. De futebol ruim, já basta o que eles assistem o ano inteiro no Pará!

Depois não digam que não avisei!