Pandemia de divórcio

Tutty Vasques

08 de julho de 2010 | 06h54

reprodução

reprodução

O mistério em torno da súbita separação de Stephany Brito e Alexandre Pato pode estar, enfim, perto de um desfecho. Se o divórcio é mesmo contagioso, como atesta um estudo da Universidade Brown realizado com 12 mil americanos, é bem provável que a jovem atriz tenha se contaminado na TV Globo logo após seu casamento com o atacante do Milan. Parece que, na volta da lua-de-mel, ela foi ao programa da Ana Maria Braga e, aí, já viu, né? A apresentadora, por sinal, teve recentemente outra recaída, mas ainda não se sabe, cientificamente, se divórcio não tem mesmo cura.

         O estudo acadêmico virou notícia no site do Daily Mail, esclarecendo um bocado de coisa que vai ficando mal parada pelo caminho na vida de todo mundo. Sabe o cretino do seu ex-marido? Vai ver contraiu o divórcio do chefe, coitado! Será que isso pega no ar? Lavar as mãos previne? Pesquisadores afirmam que o simples convívio com pessoas divorciadas basta para o contágio.

         Como não há, evidentemente, vacina que imunize casamentos, capaz de voltar o tempo em que o marido não deixava a mulher sair com “amiga separada”. O problema é que, hoje em dia, os pais são os primeiros contaminados na família. É o que chamam de pandemia, né?!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.