Pedradas não quebram bancos!

Tutty Vasques

30 Outubro 2013 | 06h16

reproduçãoO Itaú obteve no 3º trimestre de 2013 o maior lucro da história dos bancos no Brasil: R$ 4,022 bilhões, já descontadas as despesas com vidraças estilhaçadas e caixas eletrônicos depredados pelos black blocs de junho pra cá. Isso quer dizer o seguinte: não dá pra quebrar um negócio desses na base da pedrada.

A luta contra o capitalismo que se trava nas ruas do País precisa urgentemente rever seus métodos anarquistas. Está provado que, por mais inesgotáveis que sejam a disposição para a luta e o arsenal de pedras portuguesas no caminho dos protestos, o vandalismo está perdendo a guerra para o poder econômico: há uma semana, o Bradesco também anunciou o maior lucro de sua história num trimestre (R$ 3,064 bi).

Tamanho avanço do capital sob artilharia pesada do inimigo deveria ser tema de uma assembleia-geral de black blocs para rediscutir o movimento, que decerto não se propõe a infernizar a vida da população pra nada. Quem sabe não sai daí uma greve, né não?