Pepino é o maior abacaxi

Tutty Vasques

01 de junho de 2011 | 06h38

dgshshdQuem já se aventurou a ‘descascar um abacaxi’ sabe muito bem o tipo de tarefa espinhosa que originou o sentido figurado do termo para trabalho complicado, difícil de ser feito. A expressão está devidamente dicionarizada no verbete da fruta, ao contrário da similar ‘resolver um pepino’, cujo significado de resolução de problema não encontra explicação no Houaiss, tampouco na ferramenta de busca do Google.

A suspeita de associação com a fama de alimento indigesto ganhou esta semana na Europa a versão radical de infecção gastrointestinal grave causada por bactéria transmitida pela ingestão de legumes crus, em especial o pepino. A Espanha está com um pepinão pra resolver depois que a Alemanha relacionou o produto importado das plantações de Almeria e Málaga com a morte de pelo menos 14 consumidores germânicos.

Em pelo menos outros 5 países vizinhos – Suécia, Dinamarca, Bélgica, França e Grã-Bretanha – o pepino espanhol virou um abacaxi maior que as usinas nucleares depois de Fukushima. O medo do contágio criou um problema de difícil resolução nas feiras livres: os europeus não querem saber de pepino nem a preço de banana.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: