Pior que o Lupi?

Tutty Vasques

22 Novembro 2011 | 00h02

ilustração pojucanNão sei se o combativo Carlos Lupi poderá se valer disso em sua defesa, mas, pelo que a gente vem acompanhando desse último grande escândalo nacional em evidência no noticiário, a tal de Chevron, empresa americana responsável pela lambança de óleo na Bacia de Campos, é ainda menos confiável que o ministro do Trabalho.

Em matéria de prospecção de mentira, convenhamos, nada se compara à dona do poço que derramou milhares de barris de petróleo mar adentro cerca 130 quilômetros de Búzios: a companhia teria tentado, na moita, atingir o pré-sal, descumprido protocolos de segurança necessários à perfuração e, quando o problema veio à tona, inventado uma falha geológica para se isentar de culpa no cartório ambiental.

Não satisfeita, subestimou a real extensão do desastre ecológico nas primeiras informações fornecidas às autoridades brasileiras. Estaria, por fim, afundando com jateamento de areia o óleo que diz sugar do mar.

Pelo menos até o fechamento desta edição, a Chevron não havia prestado esclarecimentos ao Congresso Nacional ou pedido desculpas à presidente Dilma, o que a torna menos defensável que o ministro Carlos Lupi. Ou não, né?