Pobre do país que os EUA não espionam!

Tutty Vasques

26 Outubro 2013 | 06h44

ilustração pojucanJá são tantos os líderes mundiais comprovadamente espionados pelos EUA que os que ficaram de fora da lista de autoridades grampeadas devem estar preocupados com a falta de interesse dos americanos em suas conversas.

Cristina Kirchner seria uma dessas que não se conformam com o desdém. Chegou a passar discretamente seu celular para Barack Obama quando estiveram juntos na cúpula de São Petesburgo, mas o nome da presidente da Argentina não consta, pelo menos até agora, de nenhum documento da Agência de Segurança Nacional (NSA) revelado pelo ex-agente secreto Edward Snowden.

“Será que eles só espionam mulher feia?” – aproveita para alfinetar as colegas Dilma Rousseff e Angela Merkel.

Rola, no caso delas, o agravante da vaidade feminina, mas é bem provável que as agências de classificação de risco acabem em breve rebaixando economias de países que não são espionados pelos EUA. O Brasil devia dar graças a Deus por estar no mesmo barco da Alemanha nessa história.