Ponte aérea do tempo

Tutty Vasques

23 Fevereiro 2013 | 06h13

ilustração pOjucanBairrismos à parte, o lugar mais agradável para se estar neste verão entre o Rio e São Paulo é o avião. Nas duas pontas da viagem, o ar anda irrespirável, embora o inferno não seja exatamente o mesmo – se não, vejamos:

1) Há pelo menos duas semanas sob tempestade solar, o carioca promete um carnaval fora de época para saudar a primeira chuvarada na praia. Frente fria virou uma espécie de utopia em Ipanema!

2) Se chuva pagasse royalties aos estados com maior índice pluviométrico no verão, SP faturaria mais com as enchentes do que o Rio com o petróleo.

3) A estiagem no Rio tem um agravante: a areia da praia e os canteiros de calçada foram regados fartamente pela última vez há duas semanas com xixi dos foliões.

4) Questão de matemática: se existem atualmente 2 milhões de árvores em SP e, a cada temporal, caem em média 130 delas, daqui a quantos anos não haverá mais áreas verdes na cidade, considerando-se que são três as enchentes por semana durante o verão e cerca de 500 as novas mudas plantadas por ano em vias públicas?

5) Pense nisso antes de reclamar do tempo perdido dentro do avião enquanto aguarda autorização para pouso ou decolagem!